sexta-feira, 15 de abril de 2011

MÚSICA EM TEMPOS DE INTERNET – A nova realidade da produção, da veiculação e da relação artistas-público

Passei as 3 tardes do El Mapa de Todos enfurnada nos Seminários onde aprendi muito, assuntos interessantes e atuais foram debatidos e vou procurar colocar algo sobre os temas aqui, óbvio que não conseguirei reproduzir um terço de toda boa informação que foi debatida mas vou procurar dar ao menos uma idéia.

No seminário que é o titulo deste post a grande discussão foi voltada para a remuração/ecad e similares; perguntas foram lançadas as quais merecem reflexão e providências como por exemplo deve-se cobrar downloads de músicas? Como cobrar?
E se a cobrança realmente acontecer não estariam os grandes sites se tornando a novas majors? E como impedir isso?

Marcelo Branco colocou que nos últimos anos, diversos estudos comprovam que o que está matando a indústria fonográfica é a incapacidade de adequar-se aos novos tempos e o apego aos velhos modelos superados pelo desejo dos novos consumidores. Via de regra, a publicidade das gravadoras e o lobbie das entidades arrecadadoras pra cima de governos e legisladores, aposta em medidas coercitivas com repressão, vigilância indiscriminada, quebra de privacidade, criminalização e corte do acesso aos usuários da rede mundial, como já vem acontecendo em alguns países como a França.

Toda essa discussão está muito atual no Brasil em função da proposta de reforma da lei do direito autoral e do novo discurso do Ministério da Cultura que, pelo que parece, embarcou na canoa furada das gravadoras e das entidades arrecadadoras.

Exposição
Marcelo Branco– Profissional de TI desde sempre e ativista pela liberdade do conhecimento

Debatedores
Maurílio Lima – Coordenador da Conexão Vivo
Pedro Só – Jornalista, editor da Revista Billboard
Cláudio Kleiman – Jornalista da Revista Rolling Stone AR / Argentina
Gustavo Anitelli – Produtor do Teatro Mágico e integrante do MPB – Música Para Baixar